Este website utiliza cookies para nos ajudar a prestar-lhe um melhor serviço aquando da sua visita ao nosso site. Ao continuar a utilizar este website, está a permitir a nossa utilização destes cookies. Para mais informações consulte os nossos termos e condições. Termos e Condições Continuar

Ideias que fazem a diferença

junho 2016

José Bento fala com vivacidade das suas ideias. Vai entusiasmado até ao armazém para mostrar uma das suas primeiras sugestões, integradas na Plataforma Colombo – o concurso interno de ideias que a CUF promove desde 2006. “Era muito difícil transportar esta peça de cerâmica, perdiam-se muitas horas e o risco de se danificar era muito grande. Foi por isso que inventei esta palette que a envolve e permite fazer o transporte facilmente”.

 

O operário José Bento gosta de observar o seu trabalho com olhos de pensar. Pelo que sentiu que o aparecimento da Plataforma Colombo era algo muito positivo, não tanto pelo dinheiro, embora 150 euros por ideia aprovada “dê sempre jeito”, mas pela possibilidade de contribuir “normalmente” com as suas propostas. “Antigamente, os nossos chefes tinham, por vezes, dificuldade em ouvir as nossas sugestões. Com o Colombo, os contributos dos colaboradores tornaram-se habituais e até incentivados”. Foi esse o objectivo da Plataforma Colombo, permitir à CUF rentabilizar a sabedoria de quem trabalha e incentivá-la.

 

Sebastião Moutinho, atual responsável do Projeto, traça um quadro entusiasmante: “Em nove anos contamos com 333 ideias apresentadas, das quais 98 foram aprovadas e 72 implementadas. E continua: “Com benefícios intangíveis incalculáveis e com um retorno financeiro assinalável, o Colombo é uma iniciativa de enorme sucesso”.

 

A generalidade das ideias permite à empresa melhorar o modelo existente de trabalho, mas não é “disruptiva” e o mais provável é que nenhuma delas receba patente de uma grande invenção. Apesar disso, Ana Casaca, Coordenadora do Departamento de Inovação e Sustentabilidade, sublinha que a verdadeira capacidade do Colombo está para além disso: “o verdadeiro carácter inovador e até disruptivo, no bom sentido, do Projeto está nessa capacidade, que demonstrou ao longo dos últimos anos, de motivar os colaboradores a pensarem no seu trabalho e melhorá-lo”. 

 

O resultado é, também do ponto de vista económico, excelente. Estima-se que as ideias tenham resultado, até agora, num ganho para a empresa de 475 mil euros e que, essas mesmas inovações, terão rendido mais de 2 675 000 euros até ao fim do seu período de exploração. É um verdadeiro ovo de Colombo!

Topo